O cenário corporativo vem a experimentar mudanças expressivas no que diz respeito à elaboração de estratégias e, principalmente, de melhoria contínua no desempenho dos profissionais da área de TI.

E em meio a essas mudanças a Tecnologia da Informação tem se mostrado como principal aliada dos negócios para a descoberta de soluções com potencial para agregar vantagem competitiva.

O alinhamento estratégico entre os diferentes segmentos da empresa é um grande problema para a maioria das empresas. Os objetivos da área de negócios, que é o principal foco das organizações, nem sempre estão enraizados como elementos norteadores nos objetivos da área de TI. A principal dificuldade é que, mesmo com todo o avanço e inúmeras transformações no cenário mercadológico, não existe uma compreensão assertiva do papel da área de tecnologia nas organizações modernas.

Até mesmo as empresas grandes, infelizmente, sustentam a visão retrógrada de que o papel da área de TI seja o de resolver problemas, quando ocorrem, e o de dar sustentação aos sistemas da empresa. Esta definição além de incompleta é incorreta, pois o papel de “resolvedor” de problemas não é mais uma opção para empresas que brigam em mercados competitivos.

A conclusão que podemos chegar é que a convergência da estratégia de área de TI com a área de negócios é um desafio e tanto. A importância da tecnologia para os negócios é um fenômeno recente, pois mesmo que ela sempre fosse relevante hoje as empresas simplesmente não trabalham sem uma conexão de internet. Não existe negócios sem tecnologia no século XXI e isso ficará cada vez mais evidente. Cada empresa deve buscar a melhor forma de resolver esta questão, mas o mais assertivo é mantê-la sempre entre as prioridades no planejamento estratégico da organização.

Com a tecnologia cada vez mais inclusa no âmbito estratégico das empresas, o profissional da área de TI precisa ter domínio não apenas de software e hardware em seus aspectos técnicos, mas também ter visão de negócios. Pode-se afirmar que em muitos casos, não é a TI que faz parte dos negócios. Ela se transforma na própria tática de toda a cadeia produtiva e expansiva da empresa.

O novo profissional da Tecnologia da Informação

Ir além dos conhecimentos de tecnologia ao nível operacional. Essa é a ordem para o profissional de TI da atualidade, o qual precisa estar engajado em debates e projetos com foco na inovação para fazer a diferença. A otimização dos processos, o aumento da produtividade e rentabilidade são alguns dos objetivos que estarão a cargo do especialista, em um panorama globalizado que exige, no mínimo, a igualdade das condições tecnológicas entre concorrentes.

O fato é que já não é mais possível traçar estratégias de negócio sem considerar a TI. O profissional deve visualizar a empresa de forma integrada, vivenciando cada processo corporativo de modo a encontrar oportunidades de uso de tecnologia, com projetos que possam impactar positivamente a empresa, apresentando melhorias contínuas em suas estratégias de negócio.

Responsabilidades do analista da área de TI: excelência contra a complicação continuada

É importante frisar que esse novo papel da Tecnologia da Informação no contexto corporativo exige cada vez mais dos profissionais. A função do analista de TI, que se dedica para apresentar melhorias contínuas a fim de desenvolver o seu setor, passa a ter grandes responsabilidades se considerarmos que boas estratégias de negócios dependem invariavelmente de um alinhamento consistente com a TI.

Desta forma, a busca da excelência da junção dos negócios com o setor de Tecnologia da empresa deve ser constante.
O avanço tecnológico cada vez mais rápido não permite pausas para descanso. O que hoje é considerado TI de ponta estará obsoleto em um curto período de tempo, exigindo novos saltos de escala, atualizações e especializações em um mercado com “complicação continuada”.

O alinhamento das ações de operações e táticas com as mudanças externas deverá ocorrer com agilidade para que a empresa consiga se adaptar sem rupturas em sua estrutura organizacional, respeitando a sua cultura, e sem prejudicar o ciclo natural de tomada de decisões.

Portanto, o profissional de TI do século XXI precisa estar alinhado com as melhores práticas, ser inovador, entendendo muito bem de tecnologia, mas com uma visão de negócios consistente. Com isso conseguirá responder com habilidade às demandas corporativas e, assim, contribuir com a implementação da estratégia de negócio da companhia em que atua.

E o mais importante…

Com um papel muito mais contributivo para as organizações, o analista da área de TI que quiser se destacar e ser valorizado, não poderá permanecer estático, esperando que as demandas cheguem até ele. Será necessário sair de uma posição simplesmente analítica, para uma atitude muito mais proativa e estratégica, com visão de negócio agregando competitividade à empresa.

Mesmo com a demanda crescente por esse perfil, ainda é difícil encontrá-lo no mercado, principalmente, entre os profissionais mais seniores, acostumado com outra dinâmica de trabalho. Portanto, quanto mais o profissional desenvolver a sua visão estratégica de negócio, melhor será aproveitado pela organização para melhorias contínuas nos processos, obtendo diferenciais competitivos.

O profissional de TI precisa ser alguém resiliente, com bom trâmite entre as demais áreas, capaz de propor soluções, levar melhorias. É preciso estar presente de forma transversal dentro das empresas, pois, tudo no meio corporativo depende de recursos tecnológicos para funcionar.

A Unirede pode ajudar você a desenvolver sua área de TI, e para dar este passo o melhor caminho é o desenvolvimento pessoal e capacitação. Disponibilizamos treinamentos presenciais e EAD das soluções Zabbix, ProcessMaker, pfSence, Zimbra e Bacula, oferecidos com valores acessíveis. Acesse http://treinamentos.unirede.net/ e confira os treinamentos disponíveis.